Quem sou eu?

blog2Esse perfil já mudou algumas vezes desde que criei este blog. Por sinal, este já foi morto e ressuscitado muitas vezes. Hoje vai passar a ser suporte à minhas redes sociais para textos maiores e que necessitem de mais recursos. Sou Eduardo Bezerra, pernambucano, biomédico, sanitarista, devoto do Sport Club do Recife, filho de Ogum, casado com Samara, pai de João Pedro (um anjo lindo que me acompanha de outro plano). Mas o site vai rolar! Depois acabo esse perfil.

Responses

  1. Fala aí Eduardo!
    Muito manero este site, cheio de informações e de assuntos abordados de forma crítica mas sem perder o carisma de uma escrita agradável. Parabéns, realmente a internet deve ser uma aliada da ciência!
    Grande abraço,
    Rafael

  2. Parabéns! Sou muito amigo de teu pai, João. Moramos no Edf. Sta. Maria numa república, 78. Conheço toda família de tua mãe. Sempre que vou a Pesqueira tenho contato. Abraço.

  3. Grande Dudu…
    Tá vendo, Cabra lhe achei! Parabens, por mais essa. Gostei da ideia e vou divulgar pra “mundiça”.
    Abs,
    Domicio

  4. Eduardo
    Gostei do seu blog. Virei visitá-lo de quando e vez (rsrsrs). Assuntos interessantes, ponto de vista crítico.
    Valeria a pena tentar manter mais viva essa sua veia de escritor.
    Fiquei curiosa de ver o “lado profano” de sua dissertação por aqui. Ficarei no aguardo.
    bjks

  5. Boa tarde eduardo,
    gostei muito dos seus textos, e gostaria de saber como entro em contato com você. Se possivel me responda pelo meu email.
    Muito obrigada!

  6. DUDUDUDUDUD,acho q td em tu é profano!!!Como a escrita tb n seria???kkkkkkk
    pessoas inteligentes,frutos inteligentes= blog!Parabéns, venho te visitar de qdo em vez tb!!um xero

  7. Eduardo,
    esse texto so tem 02 defeitos ser rubro negro e mentir que sabe cozinhar.kkkkkkkkkk

  8. Olá caro Eduardo, talvez vc se pergunte, mas quem é Sabrina, como algum tempo eu me perguntei, quem é esse Eduardo? Recebia no meu e-mail as atualizações do seu blog e muitas vezes o esclui por não lembrar que conhecia algum Eduardo. Certo dia tive a curiosidade de visitar o blog e saber o que tanto vc abordava. Visitei-o, e lembrei que vc foi meu professor na especialização em saúde pública do Intituto de Desenvolvimento Educacional, que não cheguei a concluir por falta de aproximação com a minha área de formação que é educação física. Afim de dar mais uma chance a saúde pública, fui fazer especialização em atividade física e saúde pública na UPE, e aí consegui me encontrar. Não estou querendo dizer que a pós do Instituto não é boa, pelo pouco tempo que passei lá aprendi coisas relevantes sobre o sistema único de saúde, inclusive com vc. Mas não era direcionada para o contexto da atuação do professor de educação física no sistema público de saúde, e isso era justamente o que eu queria entender dentre tantas ourtas coisas. Enfim, de lá pra cá venho me encantado com o complexo, maravilhoso, extraordinário, horrível, eficiente, ineficiente, conflitante mundo da saúde pública. Ainda sinto falta de atuar profissionalmente na área da atenção básica, mas quem sabe um dia, por enquanto encantos e desencantos teóricos.
    Faz algum tempo que leio seu blog e gosto muito dos seus comentários, da diversidade e da criticidades dos assuntos. Parabéns e até mais.
    Abraço, Sabrina França.

  9. Olá, Eduardo.
    Republiquei o seu bem articulado texto no meu blog “Som do Vialejo”, com os devidos créditos.

    Muito bom mesmo.
    Parabéns.

    Apareça por lá também.

    Fraternal abraço.

    Graco Medeiros

  10. boa tarde!

    sou enfermeira nivel superior com pos graduacao em psf e enfermagem do trabalho, estou fora do mercado de trabalho, pois onde resido pelo menos, tudo tem que ter um padrinho (o famoso qi – quem indica, e agora ao cubo), gostaria/preciso muito de uma ajuda, uma oportunidade, pois amo minha profissao e nao quero desistir, e sim trabalhar para me especializar cada vez mais, e se for preciso prestar concursos, mas concursos serios……..
    existem varios profissionais de saude e formando cada vez mais, mas vc pode peneirar que realmente gosta e usa a profissão com o carinho devido.
    venho atravez dessa mensagem pedir dicas de cidades/municipios/estados que sao carentes desses profissionais, pois tenho disponibilidades para mudanças.
    aguardo anciosa, e grata desde ja!

  11. Prazer inenarrável trabalhar ao seu lado, sigamos!

  12. Oi Eduardo! Texto interessante. Sou biomédica e sanitarista, apaixonada por Saúde Pública, sobretudo pelo SUS. Tenho encontrado muita dificuldade em ser reconhecida como biomédica que trabalha com saúde pública. Já sofri discriminação e não encontro apoio do CRBM. Gostaria de trocar mais figurinhas e partilhar anseios dessa nossa empreitada, relativamente, nova… Um abraço.

  13. Olá Eduardo, gostei de te conhecer e saiba que vez em quando te colcarei no site http://www.portaldoenvelhecimento.org.br!
    Inté,
    Beltrina Côrte

  14. Olá Eduardo,

    Sou estudante de Biomedicina e na disciplina de Bioética, o professor pediu que fizéssemos um trabalho apresentando as áreas de atuação do biomédico.
    Escolhi saúde pública/sanitarista. No entanto, estou com muita dificuldade em encontrar textos confiáveis sobre o assunto. Em especial, maior dificuldade ainda em encontrar esses tópicos:

    • Postos de trabalho
    • Jornada de trabalho
    • Perspectiva salarial

    Espero que possa me ajudar de alguma forma.

    Grata,

  15. Grande Eduardo,
    estudamos juntos no CJC… ta de parabéns pelo blog meu camarada!!!

    Um abç!

  16. Prezado, Eduardo.

    Sou o Augusto, graduando em Biomedicina na UFPI. Sou atual estudante da disciplina de Saúde Pública e, em um dos projetos da disciplina, tomei a liberdade de utilizar um de seus textos referentes à relação do biomédico com a Saúde Pública no Brasil, o qual foi de muita valia para mim e para o meu grupo. Inicialmente, devo agradecer-lhe por isso. Obrigado!
    É bem verdade que essa ainda é uma área um tanto obscura dentro da formação biomédica e, em especial, na realidade piauiense. Por exemplo: a ministrante da disciplina no meu curso é uma fisioterapeuta; muito competente, diga-se de passagem, mas, como você mesmo diz, não há troca direta de experiências entre biomédico atuante e futuros profissionais, o que se mostra um potencial fator dificultador.
    Para concluir a disciplina, devemos elaborar uma prática intervencionista relacionada à saúde pública local e meu grupo não se absteve da função de disseminar as ideias de inclusão do biomédico neste campo. Pensamos em uma intervenção constituída de 3 estágios e a sua ajuda seria extremamente importante em um deles. Penso que você deve ter muitas ocupações mas peço-lhe complacentemente uma ajuda, de conselhos e de materiais atualizados, na problemática que envolve o biomédico e saúde pública.
    Se tal auxílio for possível, favor, entrar o mais rápido possível em contato comigo. Repito: sua auditoria seria muito importante para nós.

    Desde já, obrigado, Eduardo.

    Augusto César C. dos Santos, estudante de Biomedicina, Parnaíba – PI


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: